IMG-20211229-WA0018

 

Feirinhas, decorações luminosas, brinquedos gratuitos e roda gigante permanecem nos espaços e continuam atraindo público

 

O Natal já passou, mas o presente mais valioso que deixou para muita gente foi o sentimento de pertencimento à nossa Foz do Iguaçu - tão desejada por visitantes do Brasil e do mundo.

 

Com uma programação grandiosa envolvendo mais de 30 artistas locais, atrações nacionais, apresentações teatrais diárias, projeções mapeadas, Parada de Natal e Carreta Palco, a programação do Natal de Águas e Luzes, atraiu e ainda atrai milhares de espectadores diariamente, seja na Praça da Paz, no Centro da cidade ou no Gramadão da Vila A. Todo o cuidado da equipe organizadora - Prefeitura Municipal, Itaipu Binacional, Fundo Iguaçu e Fundação Cultural - fez com que a população sentisse a valorização da cidade.

 

"O que percebemos esse ano foi que os visitantes, sejam turistas ou moradores, participaram ativamente da programação e tomaram para si o Natal de Águas e Luzes. Entenderam que a festa é da cidade e se identificaram. Isso é pertencimento, que é valioso demais", comentou o diretor presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues.

 

Outra iniciativa que ganhou continuidade e ampliação foi a realização das Feirinhas de Natal, com a participação de 100 inscritos. Em anos anteriores, a feirinha era realizada somente na JK, junto à Praça da Paz. Neste ano, aconteceu simultaneamente também no Gramadão.

 

“Uma maioria dos feirantes (gastronomia) chegou a contratar pessoal para auxiliar no atendimento ao público. Este ano, também conseguimos uma padronização das barracas, e o empenho de cada um dos feirantes para oferecer um atrativo a mais para quem visitasse as atrações. E deu muito certo”, conta Alexandre Barbosa, diretor de projetos e captação de recursos culturais da Fundação Cultural.

 

A circulação flutuante diária de 2 a 3 mil pessoas empolgou os feirantes e deve ser mantida ao longo da programação até dia 5 de janeiro de 2022.

 

Plateia

O público prestigiou os artistas locais em diversos momentos. Nas apresentações da Carreta Palco, que percorreu oito grandes bairros da cidade, mais de 2 mil pessoas acompanharam os shows. Para os artistas, o contato direto com o público nos bairros foi caloroso. "Estar no bairro é como visitar as pessoas em casa", disse o músico Magnum.

 

Nos palcos maiores, montados no Centro e na Vila A, os artistas foram recebidos com logística de grandes shows. Nos espetáculos de abertura dos dois espaços, o público médio foi de 7 mil pessoas. Nos dias seguintes, o público flutuante variou entre 2 a 3 mil pessoas.

 

Os shows nacionais realizados no Gramadão atraíram grande público. O sertanejo Daniel e o Padre Reginaldo Manzotti, levaram ao local mais de 20 mil pessoas, em ambos os dias.  

 

Outro ponto forte foram os três dias da Parada de Natal, realizada na avenida Jorge Schimmelpfeng, quando um total de 20 mil pessoas acompanharam o desfile.

 

A aceitação do público foi percebida não somente nos grandes espetáculos nacionais, mas também nas apresentações artísticas promovidas pelos grupos teatrais Cia Felchak e Sorriso com Arte, responsáveis pelos espetáculos de abertura, encerramento e acendimento diário das decorações e Parada de Natal. "Foi muito interessante perceber que quando tivemos o intervalo entre o Natal e o Ano Novo, a visitação continuou intensa no centro e no Gramadão", disse Rodrigues.

 

Para Karine Pissuti, diretora da Cia Sorriso com Arte, o trabalho de levar alegria também é o de receber algo valioso em troca. “O artista precisa desse contato, a troca é fundamental para levarmos o que já percebemos aqui, que as pessoas se identificam, sentem orgulho do que a cidade onde vivem pode trazer”.

 

A iluminação cênica da Ponte da Amizade atrai diariamente inúmeros olhares, seja do lado brasileiro ou do lado paraguaio. As luzes permanecem iluminando o maior símbolo da fronteira até dia 15 de janeiro.

Foto Silvio Vera